Etiquetas

, , , ,

O “resgate” espanhol

(…)

Mas, se a gigantesca operação de salvamento do grande capital em Espanha coloca novos desafios àquele povo e à sua luta em defesa dos seus direitos, o “resgate” da Espanha não pode deixar de ter impacto internacional, ou não se tratasse da 12.ª maior economia do Mundo. O facto de uma economia desta dimensão ter ficado à mercê dos processos de extorsão do grande capital financeiro a pontos de ter de se entregar nas mãos da dita “ajuda externa” demonstra a profundidade da crise do capitalismo. Uma crise que não é limitada a este ou aquele país e que alastra muito rapidamente. A comprová-lo estão os níveis recorde de desemprego na zona euro; o anúncio oficial de que a França entrará em recessão já este trimestre; o anúncio da quebra de 1,7% nas exportações alemãs entre Abril e Março deste ano e ainda (e porventura o mais importante) a revelação dos dados do crescimento do desemprego nos EUA que atinge agora o valor oficial de 8,2% (o que corresponde a uma taxa real de 14,8%) e a forte travagem da economia norte-americana em função da contracção da despesa pública pelo sexto trimestre consecutivo, da quase estagnação do consumo interno e do aumento do défice comercial doméstico. Como afirmou o PCP em 2008, as medidas do sistema para tentar lidar com a sua própria crise mais não são do que sementes de novas e mais profundas crises. O resgate de Espanha é mais uma delas.

Fonte Jornal Avante! 14.6.2012 

Anúncios